Le Santé

A RADIOTERAPIA É PARTE INTEGRANTE DO TRATAMENTO DOS PACIENTES COM CÂNCER

29 de setembro de 2017

Ao lado da Cirurgia Oncológica e da Quimioterapia, a Radioterapia é um dos três componentes do tratamento dos pacientes com câncer.  Decidir que tipo ou tipos de tratamento de que um paciente com câncer precisa depende de vários fatores, sendo os principais:  a situação clínica do paciente, a intenção do tratamento (intenção curativa ou de controle dos sintomas apenas), o estádio do tumor (quão inicial ou avançado ele se encontra), o protocolo de tratamento usado na instituição.  Vejamos alguns exemplos de escolha dos melhores tratamentos.

Uma paciente com tumor de mama necessita sempre, em linhas gerais, de cirurgia do tumor na mama, que pode ser a retirada da mama (mastectomia) ou uma cirurgia que retire apenas o nódulo que contém o tumor (cirurgia conservadora).  Seguindo-se à cirurgia, havendo algumas características na análise microscópica do tumor, a qual é realizada pelo médico patologista, a paciente poderá ser tratada ou não com quimioterapia ou com drogas conhecidas como Terapia-Alvo.  Tendo sido tratada com cirurgia conservadora da mama, receberá radioterapia após a cirurgia ou após a quimioterapia, caso esta seja indicada.  Se foi tratada com mastectomia, em alguns casos também necessitará de radioterapia.  Ou seja, de alguma maneira, os três tipos de tratamento contra o câncer são empregados na abordagem dos tumores de mama.  Existem algumas situações, ainda, em que se administra a quimioterapia antes da cirurgia, um procedimento conhecido como Quimioterapia Neoadjuvante.

Pacientes com tumores de próstata iniciais podem ser tratados com cirurgia, a retirada da próstata;  ou com radioterapia, com resultados semelhantes.  O que muda nos dois tratamentos são as potenciais complicações.  A cirurgia possui um perfil de complicações e a radioterapia, outro.  É comum os pacientes com tumores iniciais de próstata irem à consulta com os urologistas, que realizam as cirurgias;  e aos radioterapeutas ou radiooncologistas, que prescrevem a radioterapia; a fim de ouvir as ponderações de cada profissional no tocante aos resultados e às complicações de cada tratamento e, assim, optam pelo que melhor se adapta a suas finalidades.  Os tumores de próstata mais avançados necessitam ser tratados com uma combinação de hormonioterapia (drogas que atuam para bloquear a ação dos hormônios sexuais masculinos que ocasionam o câncer de próstata) prescrita pelos oncologistas clínicos e radioterapia ou cirurgia.

Percebemos, com estes dois exemplos de tumores altamente frequentes na prática clínica, que os três profissionais – cirurgião/urologista, radioterapeuta e oncologista clínico, participam de forma integrada do tratamento destas doenças.  O que muda em cada caso é, como vimos, o tipo de tumor e como ele se apresenta em cada paciente.  A avaliação pela equipe conjunta de médicos define a melhor conduta para cada caso.

 

 

 

CARLOS LIMA JUNIOR

Médico Radioncologista na Clínica Radiologia São Sebastião

CRM SC 14673